propriedade

Alternativa correta com base nas propriedades periódicas

Considerando As Propriedades Periódicas Indique A Alternativa Correta

As características mencionadas estão ligadas à carga nuclear efetiva dos elementos químicos, que aumenta à medida que o número de elétrons de valência também aumenta. As principais propriedades periódicas incluem o tamanho do átomo, a energia necessária para remover um elétron (energia de ionização), a tendência do átomo em atrair elétrons (afinidade eletrônica) e sua capacidade de atrair ligações químicas (eletronegatividade).

Considerando as propriedades periódicas: Alternativa correta

As propriedades periódicas referem-se às características dos elementos químicos que se repetem periodicamente na tabela periódica. Essas propriedades são determinadas pela configuração eletrônica dos átomos e incluem o raio atômico, a energia de ionização, a afinidade eletrônica e a eletronegatividade.

O raio atômico é definido como metade da distância entre os núcleos de dois átomos adjacentes em uma substância. Ele diminui ao longo de um período da tabela periódica e aumenta ao longo de um grupo.

A energia de ionização é a quantidade mínima de energia necessária para remover um elétron de um átomo neutro no estado gasoso. Ela tende a aumentar ao longo de um período e diminuir ao longo de um grupo.

A afinidade eletrônica é medida pela capacidade do átomo em atrair elétrons adicionais para si mesmo. Geralmente, ela aumenta ao longo dos períodos da tabela periódica e diminui nos grupos.

A eletronegatividade indica a habilidade relativa do átomo em atrair elétrons compartilhados em uma ligação química covalente. Ela também segue padrões semelhantes aos das outras propriedades mencionadas acima.

É importante distinguir as propriedades periódicas das propriedades não-periódicas (aperiódicas). As últimas não seguem nenhum padrão específico na tabela periódica, como por exemplo, as massas atômicas ou os pontos de fusão dos elementos individuais.

Para entender melhor esses conceitos, é recomendado assistir a uma videoaula sobre propriedades periódicas e aperiódicas. Além disso, resolver exercícios relacionados a essas propriedades pode ajudar na fixação do conhecimento.

Considerando as propriedades periódicas: alternativa correta

As propriedades periódicas são características dos elementos químicos que se repetem de forma regular na Tabela Periódica. Essas propriedades têm um comportamento consistente em todos os grupos e períodos da tabela, sendo influenciadas pela carga nuclear efetiva, que é a força de atração líquida exercida pelo núcleo sobre a eletrosfera. Alguns exemplos dessas propriedades incluem o raio atômico, energia de ionização, afinidade eletrônica e eletronegatividade.

Elementos com maiores energias de ionização pertencem a qual família?

A família dos Gases Nobres está localizada na extremidade direita da tabela periódica. Essa posição indica que os elementos dessa família possuem a maior energia de ionização entre todos os elementos químicos.

Além disso, a família dos Gases Nobres é composta pelos seguintes elementos:

– Hélio (He)

– Neônio (Ne)

– Argônio (Ar)

– Criptônio (Kr)

– Xenônio (Xe)

– Radônio (Rn)

Esses gases são conhecidos por serem altamente estáveis e não reativos devido à sua configuração eletrônica completa na camada de valência.

Entendendo as propriedades periódicas: uma análise correta

Os átomos possuem propriedades relacionadas à sua carga nuclear efetiva (Zef), que representa a atração líquida do núcleo pelos elétrons de valência. Os elétrons da camada de valência são atraídos pelo núcleo, mas também sofrem repulsão dos elétrons internos, o que diminui essa atração. Esse efeito é conhecido como blindagem.

A demonstração da blindagem dos elétrons internos é um fenômeno que pode ser observado na interação entre os elétrons de camadas mais externas e os núcleos atômicos. Essa interação resulta em uma diminuição do efeito atrativo dos prótons sobre os elétrons externos, o que leva à redução da energia necessária para remover esses elétrons. Em outras palavras, a presença dos elétrons internos cria uma espécie de “escudo” ao redor do núcleo, protegendo os elétrons mais externos das forças atrativas nucleares. Isso tem implicações importantes nas propriedades químicas e físicas dos elementos químicos, influenciando sua reatividade e capacidade de formar ligações com outros átomos.

Dentro da Tabela Periódica, por conta da sua organização em ordem crescente de números atômicos, os elementos com o mesmo número de elétrons de valência são colocados em um mesmo grupo. A Z ef aumenta conforme o número de elétrons de valência aumenta, mas a cada novo período da Tabela Periódica, os elétrons de valência retornam ao mínimo (um único elétron, grupo ns 1 ). Com isso, como é possível perceber no gráfico a seguir, a variação da Z ef apresenta um padrão de repetição, ou seja, periodicidade.

O gráfico mostra como a carga nuclear efetiva varia nos três primeiros períodos da Tabela Periódica, do elemento com número atômico 1 até o elemento com número atômico 18.

As propriedades dos átomos que vamos explorar a seguir estão ligadas à carga nuclear efetiva, e podem variar de forma direta ou inversamente proporcional a ela. Como a carga nuclear efetiva segue um padrão periódico, as propriedades atômicas também seguem esse mesmo padrão. Por essa razão, essas características são conhecidas como propriedades periódicas.

Elementos com as maiores energias de ionização

A energia de ionização é maior para os elementos próximos ao Hélio, localizados na parte superior direita da Tabela Periódica. Isso significa que esses elementos exigem mais energia para remover um elétron de seu átomo neutro. Por exemplo, o hélio tem uma alta energia de ionização porque possui dois elétrons em sua camada externa e está muito próximo de alcançar a configuração eletrônica estável do gás nobre.

Por outro lado, os elementos próximos ao césio, localizados na parte inferior esquerda da Tabela Periódica, apresentam menores valores de energia de ionização. Esses elementos têm apenas um ou poucos elétrons em suas camadas externas e estão longe de atingir a estabilidade eletrônica dos gases nobres. Portanto, eles requerem menos energia para perder um elétron.

Uma dica prática para entender melhor esse conceito é observar a tendência geral dos valores da energia de ionização conforme se move através das colunas e linhas da Tabela Periódica. À medida que você se desloca da esquerda para a direita em uma linha (período), os valores aumentam gradualmente porque há uma maior carga nuclear efetiva exercida sobre os elétrons nas camadas exteriores.

You might be interested:  Contato da Claro para contratar plano

Outra dica útil é comparar as energias de ionização entre diferentes grupos (colunas) na mesma linha (período). Você notará que à medida que você desce no grupo (por exemplo: do lítio ao frâncio), as energias diminuem progressivamente porque o tamanho do átomo aumenta e a força atrativa entre o núcleo e o elétron fica mais fraca.

Quais são as características periódicas dos elementos?

O raio atômico é uma medida que representa a metade da distância entre os núcleos de átomos adjacentes.

A variação do comportamento dos elementos na tabela periódica em relação à Z ef é oposta: aumenta da esquerda para a direita e de cima para baixo. Isso também se reflete na variação dos raios atômicos dos elementos representativos (blocos s e p).

A variação do tamanho dos átomos nos elementos representativos é um fenômeno importante a ser considerado.

O tamanho dos íons é diferente quando comparado à sua forma atômica. O raio iônico refere-se à distância entre íons vizinhos em um sólido iônico.

O raio iônico positivo, r + , refere-se ao tamanho do cátion, enquanto o raio iônico negativo, r – , se relaciona ao tamanho do ânion.

A comparação entre os valores de raio atômico e raio iônico é uma análise importante na química. O raio atômico refere-se ao tamanho do átomo, enquanto o raio iônico se refere ao tamanho do íon formado pelo átomo.

O raio atômico pode ser definido como a distância média entre o núcleo do átomo e sua camada mais externa de elétrons. Já o raio iônico é a medida da distância entre o núcleo do íon e sua camada mais externa de elétrons.

Em geral, os raios iônicos são maiores que os raios atômicos correspondentes. Isso ocorre porque quando um átomo ganha ou perde elétrons para formar um íon, há uma mudança na distribuição eletrônica e isso afeta seu tamanho.

Quando um átomo perde elétrons para formar um cátion (íon positivo), ele se torna menor em relação ao seu estado neutro original. Isso ocorre porque a remoção dos elétrons faz com que as camadas eletrônicas restantes fiquem mais próximas do núcleo.

Por outro lado, quando um átomo ganha elétrons para formar um ânion (íon negativo), ele se torna maior em relação ao seu estado neutro original. A adição de elétron(s) extra(s) resulta em repulsão entre eles, causando expansão das camadas eletrônicas externas.

É importante ressaltar que existem variações nos tamanhos dos raios atômicos e iônicos dependendo do elemento químico em questão. Isso ocorre devido a fatores como carga nuclear efetiva, número de camadas eletrônicas e distribuição dos elétrons.

A energia de ionização é a quantidade mínima de energia necessária para remover um elétron da camada de valência de um átomo isolado no estado gasoso. Essa energia está diretamente relacionada à carga nuclear efetiva (Zef), ou seja, quanto maior for a carga nuclear efetiva, maior será a energia necessária para remover o elétron. Isso significa que uma maior Zef resultará em uma maior energia de ionização. Essa relação pode ser observada no gráfico abaixo.

Apresentação de um gráfico que mostra a energia de ionização dos 20 primeiros elementos da Tabela Periódica.

A afinidade eletrônica, também conhecida como eletroafinidade, refere-se à energia liberada ou absorvida quando um átomo na fase gasosa se liga a um elétron. Quanto mais negativo for o valor da afinidade eletrônica, maior será a tendência do átomo em ganhar o elétron.

Podemos expressar a afinidade eletrônica de uma maneira simples:

A afinidade eletrônica de um elemento, representada por AE(X), é determinada pela diferença entre a energia do átomo X (E(X)) e a energia do ânion X- (E(X-)), ambos em fase gasosa. Essa diferença pode resultar em valores positivos ou negativos para a afinidade eletrônica. Um gráfico apresentando os valores de eletroafinidade dos 20 primeiros elementos da Tabela Periódica está disponível abaixo.

A afinidade eletrônica é uma propriedade dos elementos químicos que mede a tendência de um átomo em ganhar elétrons e se tornar um íon negativo. Essa propriedade varia conforme o número atômico do elemento, ou seja, à medida que vamos percorrendo a tabela periódica, podemos observar diferentes valores de afinidade eletrônica. Os 20 primeiros elementos apresentam uma ampla gama de afinidades eletrônicas, demonstrando as diversas capacidades desses átomos em atrair elétrons para si.

Quando a afinidade eletrônica é positiva, isso significa que o átomo precisa receber energia para se ligar a um elétron. Geralmente, os metais alcalinos e alcalinoterrosos, que têm baixa energia de ionização, e os gases nobres (que perderiam sua estabilidade com um elétron adicional) apresentam esse comportamento. Por outro lado, quando a afinidade eletrônica é negativa, indica-se que o processo de formação do ânion libera energia.

A eletronegatividade é um conceito introduzido por Linus Pauling, que se refere à capacidade de um átomo atrair elétrons para si. Robert Mulliken, ganhador do Prêmio Nobel de Química em 1966 por suas contribuições para a compreensão das ligações covalentes, propôs que essa propriedade fosse calculada como uma média entre a energia de ionização e a afinidade eletrônica de um átomo. No entanto, é mais comum utilizar a escala desenvolvida por Pauling para medir esse valor.

A eletronegatividade de um elemento, conforme definido por Pauling, varia dentro da Tabela Periódica.

Propriedades periódicas dos elementos no Brainly

As propriedades periódicas são características que alguns elementos químicos apresentam de acordo com sua posição na tabela periódica. Essas características ocorrem à medida que o número atômico do elemento aumenta ou diminui dentro de cada período da tabela. Em outras palavras, as propriedades periódicas são padrões observados nas propriedades dos elementos químicos quando eles estão organizados em ordem crescente de seus números atômicos.

Esses padrões podem ser vistos em várias propriedades dos elementos, como raio atômico, energia de ionização e eletronegatividade. Por exemplo, ao longo de um período na tabela periódica, o raio atômico geralmente diminui à medida que se move da esquerda para a direita. Isso ocorre porque os átomos têm mais prótons no núcleo e mais elétrons nos orbitais externos à medida que você se desloca para a direita do período.

You might be interested:  Dicas Essenciais para Corretores de Imóveis Iniciantes

Outra tendência é a energia de ionização, que é a quantidade mínima de energia necessária para remover um elétron do átomo neutro. A energia de ionização geralmente aumenta ao longo do período da esquerda para a direita porque os átomos têm uma maior carga nuclear efetiva (devido ao aumento dos prótons) e uma maior força atrativa sobre os elétrons externos.

Considerando as características periódicas, indique a opção correta

Existem propriedades dos átomos que não seguem um padrão periódico e não estão relacionadas à carga nuclear efetiva. Essas propriedades são chamadas de aperiódicas. Alguns exemplos de propriedades aperiódicas incluem a massa atômica e o calor específico.

Considerando as propriedades periódicas, indique a alternativa correta

Em 2019, celebra-se o aniversário de 150 anos da primeira Tabela Periódica proposta por Dmitri Mendeleev. Sua criação não apenas catalogou os elementos, mas também permitiu a previsão de propriedades com base na posição ocupada por cada elemento na tabela. Já em 1869, a versão inicial da Tabela Periódica incluía o sódio (Na) e o potássio (K). Atualmente, esses elementos fazem parte do primeiro grupo da tabela, conhecido como metais alcalinos. Esses metais reagem violentamente quando em contato com água, resultando na produção de gás hidrogênio.

Na reação química representada pela equação 2 M (s) + 2 H2O (l) → 2 MOH (aq) + H2 (g), onde M pode ser o sódio ou o potássio, ocorre a formação de hidróxido de metal e gás hidrogênio.

A característica compartilhada por esse grupo, que é responsável pelo comportamento observado na água, é o seguinte:

Os metais, especialmente os metais alcalinos, são conhecidos por terem uma baixa energia de ionização. Isso se deve ao fato de que eles possuem apenas um elétron na camada de valência, o que resulta em uma carga nuclear efetiva muito baixa. Como resultado, esses metais têm facilidade em perder esse elétron da camada de valência. Essa característica explica a sua reatividade, já que eles perdem elétrons com relativa facilidade.

Foram adicionados recentemente à tabela periódica quatro novos elementos químicos, identificados pelos símbolos Uut, Uup, Uus e Uuo. Entre esses elementos, o que possui a maior energia de ionização é:

No ano em questão, os elementos químicos de número atômico 113 (nihônio), 115 (moscóvio), 117 (tenesso) e 118 (oganessônio) ainda não tinham sido oficialmente reconhecidos pela Iupac. Portanto, eles ainda eram referidos por seus nomes em latim.

O texto a seguir apresenta informações sobre os elementos químicos de números atômicos 113, 115, 117 e 118. O elemento de número atômico 113 é conhecido como ununtrio e agora é chamado de Nh. Já o elemento de número atômico 115 era chamado de ununpentio, mas atualmente recebe o nome Mc. O elemento com número atômico 117 era denominado ununseptio e agora é identificado como Ts. Por fim, o elemento com número atômico 118 antes era conhecido como ununoctio e hoje em dia é referido como Og.

A energia de ionização aumenta à medida que a carga nuclear efetiva aumenta, ou seja, da esquerda para a direita na tabela periódica. O elemento mais à direita é o 118º elemento e possui a maior energia de ionização.

As 4 propriedades periódicas

As propriedades periódicas são características dos elementos químicos que variam periodicamente ao longo da tabela periódica. Essas propriedades são fundamentais para entender o comportamento e as interações dos átomos.

O raio atômico é uma das principais propriedades periódicas. Ele representa a distância média entre o núcleo do átomo e sua camada mais externa de elétrons. Na tabela periódica, observamos que o raio atômico aumenta conforme nos deslocamos da direita para a esquerda em um mesmo período, pois há um aumento no número de camadas eletrônicas. Já quando nos movemos de cima para baixo em um grupo, também ocorre um aumento no raio atômico, pois há uma adição de novas camadas eletrônicas.

A energia de ionização é outra importante propriedade periódica. Ela representa a quantidade mínima de energia necessária para remover um elétron do átomo neutro no estado gasoso e formar um íon positivo (cation). Ao analisarmos a tabela periódica, percebemos que a energia de ionização tende a aumentar da esquerda para a direita em cada período, pois os átomos possuem maior carga nuclear efetiva e menor tamanho atomico nessa direção. Além disso, ao descermos em cada grupo na tabela periódica, notamos uma diminuição na energia de ionização porque os elétrons estão localizados em camadas mais afastadas do núcleo.

A afinidade eletrônica é outra característica relevante das propriedades periódicas. Ela indica quanto um átomo tem afinidade por receber um elétron e formar um íon negativo (ânion). Ao analisarmos a tabela periódica, observamos que a afinidade eletrônica tende a aumentar da esquerda para a direita em cada período, pois os átomos possuem maior carga nuclear efetiva nessa direção. Já ao descermos em cada grupo na tabela periódica, notamos uma diminuição na afinidade eletrônica porque os elétrons estão localizados em camadas mais afastadas do núcleo.

Por fim, temos a eletronegatividade como outra propriedade periódica relevante. Ela indica a capacidade de um átomo atrair elétrons quando está ligado covalentemente com outro átomo. Na tabela periódica, percebemos que a eletronegatividade tende a aumentar da esquerda para a direita em cada período e também ao subirmos nos grupos. Isso ocorre porque quanto menor o raio atômico e maior o número de prótons no núcleo do átomo, maior será sua capacidade de atrair elétrons.

Quantidade de propriedades periódicas

As propriedades periódicas são características dos elementos químicos que variam periodicamente ao longo da tabela periódica. Essas propriedades incluem:

1. Eletronegatividade: medida da capacidade de um átomo atrair elétrons para si quando está ligado a outro átomo.

2. Eletropositividade: medida da tendência de um átomo em perder elétrons e formar íons positivos.

3. Raio atômico: metade da distância entre os núcleos de dois átomos adjacentes em uma substância.

4. Afinidade eletrônica: energia liberada ou absorvida quando um átomo neutro ganha um elétron para formar um ânion negativo.

5. Potencial de ionização: energia necessária para remover o elétron mais externo de um átomo neutro no estado gasoso, formando assim um cátion positivo.

6. Densidade atômica: massa do elemento por unidade de volume ocupado pelos seus átomos na forma sólida ou líquida.

7. Volume atômico: volume ocupado por 1 mol do elemento na forma sólida ou líquida, geralmente expresso em cm³/mol.

You might be interested:  Plano de Saúde com Carência Especial de 6 Meses para Parto

8. Temperatura de fusão: temperatura à qual uma substância passa do estado sólido para o estado líquido sob pressão atmosférica normal (1 atm).

9.Temperatura de ebulição : temperatura à qual uma substância passa do estado líquido para o estado gasoso sob pressão atmosférica normal (1 atm).

Essas são algumas das principais propriedades periódicas que podem ser observadas nos elementos químicos ao longo da tabela periódica.

Organização das propriedades periódicas: como acontece?

A Tabela Periódica é uma ferramenta fundamental para a compreensão da química e das propriedades dos elementos. Ela é organizada em ordem crescente de número atômico, o que significa que os elementos são dispostos de acordo com a quantidade de prótons presentes no núcleo do átomo. Além disso, as colunas verticais na tabela representam as famílias ou grupos de elementos, enquanto as linhas horizontais correspondem aos períodos.

Cada elemento na tabela possui características únicas e suas propriedades variam periodicamente ao longo dos períodos e grupos. Essas variações nas propriedades são conhecidas como Propriedades Periódicas. Um exemplo notável dessas variações é o raio atômico, que representa a distância média entre o núcleo do átomo e sua camada mais externa de elétrons. No geral, à medida que se desloca da esquerda para a direita em um período, o raio atômico diminui porque há um aumento gradual na carga nuclear efetiva (número de prótons) sem um aumento correspondente nos níveis eletrônicos.

Outra propriedade periódica importante é a eletronegatividade, que mede a tendência de um átomo atrair elétrons quando está ligado a outro átomo. A eletronegatividade também aumenta da esquerda para a direita em um período e diminui ao longo dos grupos/famílias descendentes.

P.S.: As Propriedades Periódicas fornecem informações valiosas sobre como os diferentes elementos interagem uns com os outros e ajudam os cientistas a prever o comportamento químico dos elementos com base em sua posição na tabela. Essas propriedades são essenciais para entender as reações químicas, a formação de compostos e até mesmo os processos biológicos que ocorrem no nosso corpo.

Identificando a energia de ionização

Para identificar o potencial de ionização, é necessário consultar a tabela periódica. Essa propriedade pode ser definida com base na posição dos elementos químicos em relação à família ou ao período.

1. Na mesma família: Quando observamos os elementos pertencentes à mesma família, podemos notar que a energia de ionização aumenta no sentido de baixo para cima. Isso significa que os elementos localizados mais abaixo na coluna têm menor tendência a perder elétrons e, portanto, apresentam um potencial de ionização mais baixo do que aqueles posicionados acima.

P.S.: A energia de ionização é influenciada pela carga nuclear efetiva (Zef) e pelo raio atômico. À medida que nos movemos para cima na coluna da tabela periódica, o número atômico (Z) aumenta e também ocorre uma diminuição no tamanho do átomo. Como resultado, há uma maior força atrativa entre o núcleo e os elétrons externos, tornando mais difícil remover esses elétrons.

P.S.: Além disso, quanto maior a distância entre o núcleo e os elétrons externos (raio atômico), menor será a força atrativa exercida pelo núcleo sobre esses elétrons. Portanto, átomos maiores possuem menor energia de ionização em comparação com átomos menores da mesma família.

Essas informações são importantes para entender como as propriedades periódicas podem ser utilizadas para prever comportamentos químicos dos elementos presentes na tabela periódica.

Elementos representativos da tabela periódica

Os elementos representativos da Tabela Periódica são aqueles que pertencem às famílias indicadas pela letra A, correspondendo atualmente aos grupos 1, 2 e 13 a 18. Além disso, temos também o grupo dos elementos de transição.

A seguir, apresentamos uma lista com as propriedades periódicas considerando os elementos representativos:

1. Raio atômico: O raio atômico diminui ao longo de um período e aumenta ao descer em um grupo.

2. Eletronegatividade: A eletronegatividade tende a aumentar ao longo de um período e diminuir ao descer em um grupo.

3. Energia de ionização: A energia necessária para remover um elétron do átomo aumenta ao longo de um período e diminui ao descer em um grupo.

4. Afinidade eletrônica: A afinidade eletrônica tende a aumentar ao longo de um período e diminuir ao descer em um grupo.

5. Caráter metálico: Os elementos se tornam mais metálicos à medida que descemos em um grupo e menos metálicos à medida que avançamos por períodos.

6. Ponto de fusão: O ponto de fusão geralmente aumenta do lado esquerdo para o direito na tabela periódica (exceto nos gases nobres).

7. Ponto de ebulição: Assim como o ponto de fusão, o ponto de ebulição também tende a aumentar do lado esquerdo para o direito na tabela periódica (exceto nos gases nobres).

8. Densidade: Em geral, a densidade dos elementos é maior no centro da tabela periódica.

9. Caráter oxidante: Os elementos tendem a se tornar mais oxidantes ao longo de um período e menos oxidantes ao descer em um grupo.

10. Número de oxidação: O número de oxidação dos elementos pode variar, mas segue uma tendência específica na tabela periódica.

Essas são algumas das propriedades periódicas que podem ser observadas nos elementos representativos da Tabela Periódica.

Definição da energia de ionização

A Energia de Ionização, também conhecida como Potencial de Ionização, é uma propriedade periódica que representa a energia mínima necessária para remover um elétron de um átomo ou íon no estado gasoso. Essa energia está relacionada à estabilidade do átomo e sua capacidade de reagir com outros elementos.

Quanto maior for o valor da Energia de Ionização, mais difícil será retirar um elétron do átomo. Isso ocorre porque os elétrons estão localizados em camadas eletrônicas ao redor do núcleo atômico e possuem diferentes níveis energéticos. Os elétrons mais próximos ao núcleo têm maior atração eletrostática e requerem mais energia para serem removidos.

P.S.: A Energia de Ionização varia periodicamente na tabela periódica dos elementos químicos. Ela aumenta da esquerda para a direita em um período (linha) e diminui de cima para baixo em um grupo (coluna). Isso ocorre porque à medida que se avança em um período, o número atômico aumenta, resultando em uma carga nuclear efetiva maior sobre os elétrons externos. Já ao descer em um grupo, há aumento no tamanho dos átomos e consequente aumento na distância entre o núcleo e os elétrons externos, reduzindo assim a força atrativa entre eles.