propriedade

Propriedades, classificações e aplicações de acordo com a citação acima

Com Base Nas Propriedades Classificações E Aplicações Citadas Acima

O ouro é um metal precioso de cor dourada, com uma aparência brilhante e resistente à corrosão. Além disso, ele é conhecido por sua maleabilidade e ductilidade. Ao longo da história da humanidade, o ouro tem sido altamente valorizado não apenas pelo seu significado econômico, mas também por suas conotações religiosas e esotéricas. Embora seja considerado o mais nobre dos metais, atualmente não é necessariamente o mais caro em termos de cotações no mercado financeiro.

O ouro é um metal imutável , uma vez que sua inércia química permite que sua aparência permaneça inalterada por milênios, como é o caso do ouro presente na máscara do faraó Tutancâmon, a qual se mantém como se tivesse sido confeccionada pouco tempo atrás. O ouro está amplamente disperso no mundo todo e, por isso, foi descoberto por vários grupos distintos em muitos locais e épocas diferentes, estando atrelado à cultura e história de diversas sociedades. Infelizmente, muitos lutaram e morreram por ele.

Tópicos deste artigo

O ouro é um metal precioso amplamente conhecido por suas propriedades únicas e características distintas. Encontrado em diferentes partes do mundo, o ouro é obtido através de processos específicos que garantem sua pureza e qualidade. Comumente utilizado em joias e objetos de valor, o ouro possui uma longa história de uso humano, sendo considerado um símbolo de riqueza e status social. Além disso, existem exercícios resolvidos disponíveis para aprofundar o conhecimento sobre esse metal valioso.

Resumo sobre as propriedades, classificações e aplicações do ouro

O ouro é um metal de cor amarela brilhante. Possui alta densidade e baixa reatividade química. Pode ser encontrado em várias partes do mundo, principalmente na forma pura. Atualmente, é obtido através do processo de cianetação e depois precipitado com zinco ou adsorvido com carvão ativado. A pureza do ouro é medida em quilates (k). É utilizado na fabricação de joias, moedas, catalisadores, dispositivos eletrônicos, pigmentos e películas refletoras de radiação infravermelha. Os objetos mais antigos feitos de ouro datam de 4600-4200 a.C., tornando-o possivelmente o primeiro metal a ser manipulado pela humanidade junto com o cobre.

Classificações e aplicações do ouro com base em suas propriedades

O ouro é um elemento químico com símbolo Au e número atômico 79. Sua massa atômica é de aproximadamente 196,97 unidades de massa atômica (u.m.a). O ponto de fusão do ouro é de cerca de 1064 °C, enquanto o ponto de ebulição fica em torno dos 2856 °C. A densidade do ouro a uma temperatura ambiente é de aproximadamente 19,32 g/cm³. O isótopo natural mais abundante do ouro é o Au-197, representando 100% da sua composição isotópica. Os estados de oxidação mais comuns para o ouro são +1 e +3. A configuração eletrônica desse elemento é representada por: 4f14 5d10 6s1.

Propriedades, classificações e aplicações do ouro

O ouro é um metal que se destaca por sua baixa reatividade química, o que significa que ele não é afetado pelo oxigênio nem por ácidos não oxidantes. É muito difícil dissolver o ouro, sendo necessárias condições extremamente oxidantes e temperaturas elevadas, como aquelas encontradas na mistura de ácido clorídrico e ácido nítrico altamente concentrados conhecida como aqua regia. Além disso, o ouro também pode reagir com halogênios e ser dissolvido em líquido BrF3.

Dentre os metais, o ouro é conhecido por sua maleabilidade e ductilidade excepcionais. É possível laminar um grama de ouro em uma área de aproximadamente um metro quadrado. Além disso, destaca-se pela sua alta condutividade elétrica, sendo o terceiro metal mais condutor na Tabela Periódica. A prata ocupa a primeira posição como a maior condutora entre todos os metais, seguida pelo cobre como segundo maior condutor de eletricidade.

Possui uma densidade significativa e exibe uma coloração amarela brilhante distintiva. Quando exposto a altas temperaturas, libera vapores violetas até atingir o ponto de ebulição.

Aula em vídeo sobre a Tabela Periódica

Diversos países possuem as principais reservas minerais do mundo.

A Austrália é responsável por cerca de 10 mil toneladas de {palavra-chave}, seguida pela Rússia com aproximadamente 7,5 mil toneladas. Os Estados Unidos contribuem com cerca de 3 mil toneladas, enquanto a África do Sul e o Peru possuem quantidades semelhantes, em torno de 2,7 mil toneladas cada. A Indonésia produz cerca de 2,6 mil toneladas e o Brasil fica logo atrás com aproximadamente 2,4 mil toneladas.

A mina de ouro localizada em Kalgoorlie, no oeste da Austrália, é considerada a maior do país.

No Brasil, a maior parte do ouro produzido provém de minas localizadas nos estados de Minas Gerais, Goiás, Bahia e Amapá. O ouro é um dos poucos metais que pode m ser encontrado s na natureza em sua forma nativa (lembre-se que é quimicamente inerte), com um teor médio de 85–95% em ouro e o resto em prata. Contudo, também pode ocorrer em outros 19 minerais, embora a maioria seja rara ou raríssima. É o caso dos teluretos, sendo a calaverita, AuTe 2 , e a silvanita, (Ag,Au)Te 2 , os mais frequentes.

You might be interested:  Características gerais e específicas da matéria

Eu sou um metal pesado extremamente versátil

De acordo com especialistas, o chumbo (Pb) é um metal pesado que possui diversas características. Ele é conhecido por ser versátil, maleável e ductível, ou seja, pode ser facilmente moldado em diferentes formas. Além disso, o chumbo também é resistente à oxidação e apresenta a propriedade de bioacumulação.

Características do chumbo:

– Versatilidade

– Maleabilidade

– Ductibilidade

– Resistência à oxidação

– Bioacumulação

Aquisição do ouro

No começo, a extração do ouro era feita usando técnicas de separação por gravidade e outras técnicas adicionais, como quebrar o ouro em partículas menores e misturá-lo com mercúrio. Essas técnicas se baseavam em certas características do ouro.

Este material possui uma densidade elevada, o que torna mais fácil a separação por gravidade. Além disso, ele apresenta uma característica natural de ser hidrofóbico e pode ser incorporado ao mercúrio para formar uma amálgama.

No entanto, essas técnicas eram limitadas apenas a amostras de ouro que eram fáceis de extrair e processar, não sendo eficazes para a extração de ouro puro fino ou ouro associado a sulfetos. Como resultado disso, foi desenvolvida uma técnica chamada cianetação hidrometalúrgica em 1887 pelo químico escocês John S. MacArthur e pelos médicos escoceses Robert e William Forrest. Nessa técnica, o ouro é moído e concentrado antes de ser dissolvido (lixiviado) em uma solução alcalina contendo íons cianeto, conforme demonstra a reação abaixo:

A reação química representada pela equação 4 Au + 8 CN – + 2 H 2 O + O 2 → 4 Au(CN) 2 – + 4OH – envolve a combinação de ouro, cianeto e água com oxigênio para formar complexos de cianeto de ouro e íons hidróxido.

Para evitar a formação de ácido cianídrico, HCN, durante o processo, é necessário realizar a reação em meio básico. Dessa forma, evita-se a hidrólise do íon cianeto.

A geração de HCN em condições de alta pressão de vapor apresenta consequências econômicas e ambientais significativas. Além da perda do reagente, há também a preocupação com sua elevada toxicidade. Para contornar esses problemas, uma opção viável é a coleta do ouro por meio da precipitação utilizando zinco ou pela adsorção com carvão ativado.

Nome do elemento químico chumbo

O chumbo é um elemento químico que possui o símbolo Pb e número atômico 82, o que significa que tem 82 prótons e 82 elétrons. Sua massa atômica é de aproximadamente 207,2 u. O chumbo pertence ao grupo 14 da classificação periódica dos elementos químicos, anteriormente conhecido como IVA.

Características do chumbo:

– Símbolo: Pb

– Número atômico: 82

– Prótons: 82

– Elétrons: 82

– Massa atômica: cerca de 207,2 u

– Grupo na classificação periódica dos elementos químicos: grupo 14 (IVA)

Pureza e teor de ouro

O ouro pode ser categorizado como fino quando é puro, ou baixo quando a liga metálica contém uma quantidade menor de ouro. A proporção de ouro em uma liga é tradicionalmente medida em quilates (k), representando a quantidade de partes de ouro em um total de 24 partes do metal. Cada quilate equivale aproximadamente a 4,16% do teor total de ouro. Por exemplo, ao mencionarmos uma joia com 18k, estamos indicando que ela possui 18/24 partes compostas por ouro, o que corresponde a cerca de 75% da composição total da peça.

A existência dessa graduação se deve ao fato de que o ouro é muito macio para ser utilizado em sua forma pura (24k), sendo necessário comercializá-lo em ligas. A tabela a seguir mostra a relação entre a pureza e o quilate do ouro.

– Quilate: 24 | Teor de ouro (em %): 99,99

– Quilate: 22 | Teor de ouro (em %): 91,67

– Quilate: 18 | Teor de ouro (em %): 75,00

– Quilate: 14 | Teor de ouro (em %): 58,30

– Quilate: 10 | Teor de ouro (em %): 41,67

– Quilate: 8 | Teor de ouro (em %):33,33

Descobridor do chumbo: quem foi?

Há registros que indicam que os chineses já produziam e extraíam chumbo na forma metálica por volta de 3.000 a.C., enquanto os fenícios exploravam depósitos minerais na Espanha desde aproximadamente 2.000 a.C. Embora não se conheçam as formas exatas utilizadas por essas civilizações para extrair os minérios, existem evidências da presença de fornalhas.

Além disso, é possível destacar algumas outras informações relevantes sobre o assunto:

– Os chineses possuíam conhecimentos avançados em metalurgia, sendo capazes de produzir ligas metálicas complexas.

– Os fenícios eram habilidosos navegadores e comerciantes, o que lhes permitiu explorar diversos recursos naturais ao redor do mundo.

– A exploração mineral era uma atividade estratégica para ambos os povos, pois fornecia matéria-prima essencial para a fabricação de objetos utilitários e ornamentais.

Essas são apenas algumas curiosidades relacionadas à extração e produção de metais pelos antigos chineses e fenícios.

Aplicações do ouro com base em suas propriedades e classificações

Quando se menciona o ouro, é comum pensar em sua utilização na fabricação de joias e outros objetos preciosos. Ao longo da história, o ouro tem sido amplamente empregado para esse fim. Os antigos egípcios, por exemplo, já exploravam a beleza do ouro ao criar artefatos e ornamentos que simbolizavam riqueza e eternidade.

You might be interested:  O Que É Plano de Negócio: Um Guia Essencial para o Sucesso Empresarial

O ouro desempenhou diversos papéis ao longo da história, incluindo o uso como padrão monetário e na fabricação de moedas. Além disso, também foi empregado com propósitos religiosos e esotéricos. Por exemplo, os egípcios utilizavam nanopartículas de ouro para criar uma bebida conhecida como “elixir da longa vida”, acreditando que ela poderia estimular a mente e restaurar a juventude. Da mesma forma, civilizações antigas como os maias, astecas e incas consideravam o ouro uma dádiva divina e um objetivo sagrado em suas culturas.

O ouro é amplamente utilizado em diversas aplicações contemporâneas. Por exemplo, ele é empregado na microscopia eletrônica e como agente colorante, como o pigmento roxo conhecido como “púrpura de Cassius”. Esse pigmento é formado pela reação de sais de Au 3+ com cloreto de estanho II e é usado na fabricação de vidro rubi. Além disso, o ouro possui uma excelente condutividade elétrica e resistência à corrosão, tornando-o um elemento importante na indústria de eletroeletrônicos e em processos eletroquímicos.

Uma moeda de ouro romana que remonta ao reinado do Imperador Honório.

O ouro é amplamente utilizado como catalisador devido à sua alta seletividade e à necessidade de apenas pequenas quantidades desse metal. Ele desempenha um papel importante na oxidação do monóxido de carbono, na hidrocloração do acetileno (usado para produzir PVC), na oxidação alcoólica, na epoxidação de alcenos e em várias outras reações químicas. Essa utilização do ouro como catalisador torna essas reações mais rápidas e eficientes, contribuindo positivamente para o meio ambiente.

Na indústria farmacêutica, medicamentos contendo ouro, como auranofina (C 20 H 35 AuO 9 PS), têm sido empregados no tratamento da artrite reumatoide. Além disso, outros compostos de ouro também possuem propriedades antitumorais, como o iminofosforano organoaurífico III. No contexto do combate ao câncer, o radioisótopo sintético 198 Au pode ser utilizado na forma de coloide para eliminar tumores sólidos.

O ouro desempenha um papel importante na indústria de dispositivos eletrônicos.

Adicionalmente, o ouro é utilizado em películas de proteção aplicadas em satélites e visores de trajes espaciais para refletir radiações infravermelhas e reduzir o aquecimento interno causado pela radiação solar. Essas películas também podem ser aplicadas em janelas, diminuindo a necessidade de ar-condicionado e conferindo maior estética à fachada.

Veja também: Energia solar — a alternativa renovável que é promissora em relação à produção energética do futuro

Principais características dos metais pesados

Os metais pesados são elementos químicos que têm a capacidade de se acumular nos organismos vivos. Esses metais possuem uma propriedade chamada bioacumulação, o que significa que eles podem ser absorvidos pelos tecidos dos seres vivos e se acumularem ao longo do tempo. Isso ocorre porque os átomos desses metais têm a capacidade de perder elétrons e formar cátions, ou seja, íons com carga positiva. Essa característica está relacionada à sua baixa energia de ionização, que facilita esse processo.

A bioacumulação dos metais pesados pode ter consequências negativas para os organismos vivos. Quando essas substâncias entram no corpo humano ou em outros animais, elas podem se acumular nos tecidos e órgãos, causando danos à saúde. Alguns exemplos de metais pesados conhecidos por suas propriedades tóxicas incluem chumbo, mercúrio e cádmio.

Esses elementos estão presentes em diversos ambientes naturais e também podem ser encontrados em produtos industriais e poluentes atmosféricos. Por isso, é importante monitorar a exposição aos metais pesados e adotar medidas para prevenir seus impactos negativos na saúde humana e no meio ambiente como um todo.

A história do metal precioso conhecido como ouro

O ouro recebeu seu nome do latim aurum, que significa “aurora reluzente”. Embora seja difícil determinar exatamente quais foram os primeiros povos a trabalhar com o ouro, objetos antigos datados de 4600-4200 a.C. foram descobertos em sepulturas na cidade de Varna, Bulgária.

A partir desse momento, sociedades antigas, como os egípcios e os povos pré-colombianos das Américas, passaram a utilizar o ouro de forma significativa.

O Museu do Ouro, localizado em Bogotá, Colômbia, abriga um artefato de ouro datado da Era Pré-Colombiana na América. Este objeto valioso representa uma parte importante da história e cultura desta região.

Acredita-se que a utilização do ouro tenha sido motivada pela sua disponibilidade natural em estado puro, o que tornou mais fácil sua manipulação e uso. O ouro é encontrado em várias partes do mundo, o que possibilitou seu descobrimento e uso por diferentes sociedades ao longo da história. É provável que o ouro tenha sido um dos primeiros metais a serem utilizados, juntamente com o cobre.

Durante o ciclo do ouro, entre 1700 e 1850, o Brasil foi reconhecido como o maior produtor de ouro do mundo. Nesse período, estima-se que a produção anual tenha alcançado cerca de 16 toneladas. No entanto, foi na década de 1980 que a exploração aurífera brasileira experimentou um grande avanço com a descoberta do garimpo de Serra Pelada. Essa descoberta impulsionou significativamente a produção nacional, levando-a a quintuplicar para uma média anual de aproximadamente 100 toneladas.

Exercícios práticos sobre o ouro

Um jovem casal tomou a decisão de se casar e, como parte da tradição, eles foram até uma joalheria para escolher suas alianças. Durante a busca, o casal se interessou por uma aliança de ouro que tinha uma etiqueta indicando 15 quilates. Levando em consideração que essa aliança tem um peso total de 4,0 gramas, qual seria a quantidade exata de ouro puro presente nela?

You might be interested:  Qual Elemento Químico Apresenta Características Semelhantes ao Oxigênio?

A aliança de 15 quilates e peso de 4 g contém uma quantidade correspondente a 15/24 gramas de ouro, o que equivale a aproximadamente 2,5 gramas do metal. Este valor foi calculado com base na proporção entre o teor de ouro presente na liga da aliança.

O ouro puro apresenta características químicas específicas, como uma cor amarelada e brilhante, alta densidade e baixa reatividade. Além disso, é extremamente maleável e dúctil, permitindo a fabricação de fios muito finos e longos com apenas 1 grama do elemento.

O ouro não se enquadra na categoria de metal de transição externa.

Quando o elemento está na forma de um cátion trivalente, sua eletrosfera contém 76 elétrons.

No átomo de ouro, o nível de energia 4d não está completamente preenchido, contendo nove elétrons.

Este elemento químico está localizado em um período não preenchido na tabela periódica.

Neste elemento químico, a espécie Au 1+ tem um núcleo com 80 prótons.

O elemento ouro tem 79 prótons e elétrons em sua forma atômica. No entanto, quando se transforma em um cátion trivalente com carga +3, perde três elétrons, ficando com apenas 76 restantes.

A opção A está errada, pois o ouro é um metal de transição externa.

A resposta C está errada porque, de acordo com a distribuição eletrônica do ouro, o subnível 4d está completamente preenchido.

A opção D está errada, pois o período do ouro na Tabela Periódica contém todos os elementos e está completo.

A opção E está errada porque a espécie Au 1+ não se forma ao receber um próton, mas sim ao perder um elétron. Quando uma espécie se torna um íon, ela não ganha ou perde prótons.

Principais metais pesados

Os metais pesados são elementos químicos que possuem alta densidade e geralmente apresentam propriedades tóxicas. Alguns dos principais metais pesados incluídos nesse grupo são o arsênio, cádmio, cobre, estanho, antimônio, chumbo, bismuto, prata, mercúrio, molibdênio, índio, ósmio, paládio e ródio.

O chumbo é conhecido por sua toxicidade e foi amplamente utilizado em tintas e gasolina antes de seus perigos serem reconhecidos. A exposição ao chumbo pode levar a problemas neurológicos graves em crianças.

Além desses exemplos mencionados acima existem outros metais pesados como o cobre que possui diversas aplicações industriais; o estanho usado na fabricação de latas para alimentos; o antimônio empregado na produção de plásticos retardantes de fogo; entre outros.

O minério mais pesado do mundo

Em termos simples, podemos dizer que o ósmio é um tipo de metal muito pesado e denso. Ele tem uma coloração branca-azulada característica e ocupa a posição de maior densidade entre todos os metais da Tabela Periódica. Essas propriedades tornam o ósmio bastante especial para a ciência, sendo utilizado em diversas aplicações importantes.

Propriedades:

1) Cor: branco-azulado

2) Densidade: maior entre todos os metais da Tabela Periódica

3) Peso: considerado o mais pesado dos metais

Classificações:

1) Metal

2) Elemento químico (símbolo Os)

3) Transição

Aplicações citadas acima:

1) Estudos científicos

2) Pesquisas avançadas

3) Aplicações específicas onde se requer alta densidade ou peso

O material mais denso do mundo

O ósmio é um elemento químico de símbolo Os e número atômico 76. Ele pertence ao grupo 8 da classificação periódica dos elementos e é considerado um metal de transição. Com uma massa atômica de aproximadamente 190,23 u, o ósmio possui propriedades físicas e químicas únicas que o tornam bastante interessante para diversas aplicações.

À temperatura ambiente, o ósmio se encontra no estado sólido. Sua estrutura cristalina é cúbica de face centrada, conferindo-lhe alta densidade e resistência mecânica. Além disso, ele apresenta uma cor cinza-azulada brilhante que lhe confere um aspecto esteticamente agradável.

Devido às suas características especiais, o ósmio tem sido amplamente utilizado em várias áreas. Por exemplo, sua alta densidade faz com que seja empregado na fabricação de instrumentos científicos precisos como pontas de canetas-tinteiro e agulhas cirúrgicas extremamente finas. Além disso, sua resistência à corrosão permite seu uso em revestimentos protetores para peças metálicas expostas a ambientes agressivos.

P.S.: O ósmio também pode ser encontrado em ligas metálicas utilizadas na indústria automotiva para aumentar a durabilidade das peças do motor.

Os riscos do cádmio como metal raro para a saúde e o meio ambiente

O cádmio é um metal que apresenta propriedades tóxicas e, por isso, pode causar sérios danos ao meio ambiente. Sua contaminação ocorre de diversas formas, como através do lixo doméstico, das emissões industriais e da presença em solos contaminados.

No caso do lixo doméstico, produtos que contenham cádmio podem ser descartados de forma inadequada e acabam contaminando o solo quando são depositados em aterros sanitários. Além disso, as emissões atmosféricas provenientes de indústrias também contribuem para a disseminação desse metal no meio ambiente.

O elemento mais pesado da natureza

Na tabela periódica atual, o elemento mais pesado é o oganessônio (Og), com número atômico 118. Abaixo está uma lista dos elementos químicos em ordem crescente de seus números atômicos:

1. Hidrogênio (H)

2. Hélio (He)

3. Lítio (Li)

4. Berílio (Be)

5. Boro (B)

6. Carbono (C)

7. Nitrogênio (N)

8. Oxigênio (O)

9.Fluor(F)

10.Neônio(Ne)

Essa lista contém apenas os primeiros dez elementos da tabela periódica e pode ser expandida para incluir todos os 118 elementos conhecidos até agora.