propriedade

Propriedades da Matéria: O que são?

Quais São As Propriedades Da Matéria

A matéria tem 10 propriedades gerais, isto é, características observadas em qualquer corpo, independente da substância de que ele é feito: Inércia, massa, volume, extensão, impenetrabilidade, compressibilidade, elasticidade, divisibilidade, descontinuidade e indestrutibilidade.

Tópicos deste artigo

1. Propriedades gerais da matéria: Nesta seção, discutimos as características comuns a todas as formas de matéria. Isso inclui aspectos como massa, volume e densidade.

2. Propriedades específicas da matéria: Aqui exploramos propriedades que são exclusivas de certas substâncias ou tipos de matéria. Exemplos disso são ponto de fusão, ponto de ebulição e condutividade elétrica.

Propriedades da Matéria: Um Mapa Mental

As propriedades da matéria podem ser divididas em dois grupos: gerais e específicas. Essas propriedades serão exploradas a seguir.

Propriedades gerais da matéria e sua explicação

As propriedades gerais da matéria são características que todos os materiais possuem, não importando a sua composição. Elas nos ajudam a entender como os objetos ao nosso redor se comportam e interagem uns com os outros.

A primeira propriedade geral é a massa, que representa a quantidade de matéria presente em um objeto. É o que determina o peso do objeto e pode ser medida em unidades como gramas ou quilogramas.

A extensão é outra propriedade geral da matéria e refere-se ao tamanho ou volume ocupado por um objeto no espaço. Por exemplo, uma bola tem uma extensão maior do que uma moeda porque ocupa mais espaço.

Outra importante propriedade geral é a inércia, que está relacionada à resistência de um objeto em mudar seu estado de movimento. Quanto maior for a massa de um objeto, maior será sua inércia e mais difícil será alterar seu estado de repouso ou movimento.

Além dessas três propriedades gerais mencionadas acima, existem outras seis: impenetrabilidade (que impede dois objetos ocuparem o mesmo lugar simultaneamente), divisibilidade (capacidade dos materiais serem divididos em partes menores), compressibilidade (capacidade dos materiais serem comprimidos reduzindo seu volume), elasticidade (capacidade dos materiais voltarem à forma original após sofrerem deformação), indestrutibilidade (a matéria não pode ser criada nem destruída) e descontinuidade (os átomos estão separados uns dos outros). Essas características são fundamentais para compreendermos as diferentes formas como a matéria se apresenta na natureza.

Propriedades gerais da matéria: uma análise abrangente

As propriedades que toda substância possui, independentemente de estar no estado sólido, líquido ou gasoso.

Um objeto tende a permanecer em repouso ou em movimento, a menos que uma força externa atue sobre ele.

A massa é uma grandeza física que representa a resistência de um corpo em ter seu movimento acelerado. Em termos gerais, podemos relacionar a massa com a quantidade de partículas presentes em uma substância.

O volume é a medida do espaço ocupado por uma substância, independentemente de seu estado físico.

Não é possível que duas substâncias ocupem o mesmo espaço simultaneamente. Um exemplo disso é quando queremos encher uma garrafa com água, precisamos primeiro remover o ar de dentro dela.

A compressibilidade é a capacidade da matéria de reduzir seu volume quando sujeita a uma força externa. Um exemplo disso pode ser observado ao tampar a ponta de uma seringa e empurrar o gás em seu interior utilizando o êmbolo.

A elasticidade é a propriedade de um material em retornar à sua forma original quando submetido a uma força externa que o estica ou comprime.

You might be interested:  A Relação Entre as Duas Propriedades dos Itens Anteriores: Uma Análise Personalizada

A capacidade da matéria de ser dividida em várias partes sem sofrer alterações em sua composição química é conhecida como sua divisibilidade.

Propriedades físicas das matérias: quais são?

As propriedades físicas específicas são características que podem ser usadas para identificar diferentes substâncias. Existem mais de trinta dessas propriedades, mas três delas são as mais comumente utilizadas: densidade, ponto de fusão e ponto de ebulição.

A densidade é uma medida da quantidade de massa presente em um determinado volume. Ela pode variar entre as substâncias e é útil para distinguir materiais com composições diferentes. Por exemplo, se tivermos dois líquidos transparentes, podemos determinar qual é qual comparando suas densidades – o líquido mais denso terá uma maior quantidade de massa em um mesmo volume.

O ponto de fusão refere-se à temperatura na qual uma substância passa do estado sólido para o estado líquido. Cada substância tem seu próprio ponto de fusão característico. Por exemplo, a água tem um ponto de fusão a 0°C – abaixo dessa temperatura ela estará no estado sólido (gelo) e acima dela estará no estado líquido.

Essas três propriedades físicas específicas podem ser medidas experimentalmente utilizando equipamentos adequados ou encontradas em tabelas confiáveis ​​de dados químicos e físicos das substâncias conhecidas. É importante lembrar que essas informações podem ser muito úteis na identificação de substâncias desconhecidas, mas é necessário ter cuidado ao interpretar os resultados e considerar outras propriedades físicas e químicas para uma identificação precisa.

Propriedades particulares da matéria

Cada matéria possui suas próprias características, o que significa que uma característica presente em uma matéria não necessariamente estará presente em outra.

A capacidade de estimular os sentidos é uma característica presente na matéria. Isso significa que ela pode despertar, pelo menos, um dos cinco sentidos humanos. A seguir, apresento alguns exemplos dessa propriedade.

Quando consumimos cloreto de sódio, podemos perceber o sabor salgado através do paladar. Ao fritar um bife em uma panela, somos capazes de ouvir os sons produzidos durante o processo. Ao passarmos uma toalha no rosto e sentirmos sua textura áspera, estamos utilizando nosso tato. A visão nos permite apreciar a luz emitida pelos fogos de artifício durante uma explosão. Por fim, ao descascarmos uma mexerica, somos agraciados com o aroma liberado pelo fruto através do olfato.

A capacidade de certas substâncias em desempenhar uma função ou causar uma sensação semelhante é conhecida como característica comum. Alguns exemplos dessa característica incluem:

As substâncias ácidas possuem um sabor azedo quando são ingeridas e têm a capacidade de se ionizar, ou seja, produzir íons.

Todas as substâncias básicas causam a sensação de adstringência e podem se dissociar em água, liberando íons.

Todas as substâncias salinas têm um sabor salgado quando consumidas e são capazes de se dissociar em íons quando colocadas em água.

A capacidade de uma substância se converter em outra através de um processo chamado fenômeno químico é conhecida como reatividade química. Geralmente, a ocorrência desse tipo de fenômeno depende das condições às quais a substância é submetida, tais como temperatura, presença de catalisadores ou eletrólise.

A transformação de uma substância em outra ocorre quando elas possuem características químicas semelhantes, como a presença de átomos dos mesmos elementos químicos. Por exemplo, para produzir iogurte, é necessário utilizar leite e não suco de uva.

Um fenômeno químico amplamente conhecido é a formação da água. Ao submeter os gases oxigênio (O2) e hidrogênio (H2) a altas pressões e temperaturas, ocorre uma reação que resulta na produção de uma substância completamente distinta: a água.

Quando combinamos os gases cloro (Cl2) e hidrogênio (H2), não é possível obter um resultado diferente da formação de ácido clorídrico (HCl).

You might be interested:  Declaração de não propriedade do imóvel da Codhab DF em formato PDF

As propriedades da matéria são estabelecidas através de experimentos.

A solubilidade é a propriedade de uma substância em dissolver outra. Um exemplo disso é a água, que tem a habilidade de dissolver o sal de cozinha, conhecido como cloreto de sódio. É importante destacar que fatores como quantidade do soluto, solvente e temperatura podem influenciar na solubilidade.

A tabela a seguir ilustra um caso em que a temperatura, quantidade de soluto e solvente exercem influência.

A tabela apresenta os valores de solubilidade da sacarose em água.

Na tabela fornecida, é possível verificar que a quantidade de sacarose dissolvida em 100 mL de água varia conforme a temperatura. A uma temperatura de 10°C, é possível dissolver 190,5 g de sacarose nessa quantidade de água. No entanto, se a mesma quantidade de água estiver a uma temperatura mais elevada, como 50°C, será possível dissolver até 260,4 g de sacarose.

A relação entre a massa de um objeto e o espaço que ele ocupa é conhecida como densidade. A densidade pode ser calculada utilizando-se uma fórmula específica.

A temperatura é o fator determinante para a transição de uma substância do estado sólido para o estado líquido. Um exemplo disso é o ferro, que se torna líquido quando atinge a temperatura de 1535°C.

O ponto de ebulição (PE) é a temperatura na qual uma substância passa do estado líquido para o estado gasoso.

A transição de uma substância do estado líquido para o estado gasoso é determinada pela temperatura. Um exemplo disso é o metal mercúrio, que se transforma em gás quando atinge a temperatura de 356,9 °C.

A tenacidade é a habilidade de um material resistir ao impacto quando entra em contato com outro material. Por exemplo, quando uma pedra é lançada contra o vidro e este se quebra, significa que a pedra possui maior tenacidade do que o vidro.

A dureza é a propriedade de um material em arranhar outro. Por exemplo, quando uma pedra risca o vidro de uma janela, isso significa que a pedra é mais dura do que o vidro.

O conceito de matéria

A matéria pode ser definida como tudo aquilo que ocupa um lugar no espaço e possui peso. Essa definição simples e abrangente engloba uma ampla variedade de elementos, desde objetos físicos até substâncias químicas.

Podemos encontrar exemplos de matéria em diversos aspectos do nosso cotidiano. Uma árvore, por exemplo, é composta por matéria, pois ocupa um determinado espaço no ambiente em que está inserida e apresenta peso devido à sua massa. Da mesma forma, organismos vivos como bactérias e vírus também são considerados matéria, pois possuem volume e peso.

Além dos seres vivos, outras formas de matéria incluem substâncias gasosas como o ar e a água. O ar é composto por diferentes gases que ocupam um certo volume no ambiente em que estão presentes. Já a água é uma substância líquida com propriedades específicas de densidade e massa.

Objetos inanimados também são exemplos claros de matéria. Uma mesa ou um veículo são compostos por materiais sólidos que ocupam espaço físico e possuem peso quando submetidos à força da gravidade.

Propriedade de massa

A massa é uma propriedade fundamental da matéria que está relacionada com a quantidade de substância presente em um corpo. Ela é geralmente medida em quilogramas (kg) e representa a medida da inércia do objeto. A inércia, por sua vez, refere-se à resistência que um corpo apresenta quando se tenta alterar seu estado de movimento ou repouso.

Quanto maior for a massa de um objeto, maior será sua inércia. Isso significa que corpos mais pesados tendem a ser mais difíceis de mover ou parar quando comparados com objetos mais leves. Essa relação entre massa e inércia pode ser observada no dia-a-dia: ao empurrar um carro, por exemplo, é necessário aplicar uma força considerável para vencer a resistência causada pela grande massa do veículo.

You might be interested:  Quem Assume a Remuneração do Corretor de Imóveis?

Além disso, vale ressaltar que a massa não deve ser confundida com o peso de um objeto. Enquanto o peso está relacionado à força gravitacional exercida sobre o corpo e varia dependendo da localização na Terra (ou em outros planetas), a massa permanece constante independentemente do ambiente onde o objeto esteja.

Tipos de propriedades químicas

As propriedades da matéria podem ser divididas em duas categorias principais: propriedades gerais e propriedades específicas. As propriedades gerais são aquelas que se aplicam a todas as substâncias, independentemente de sua composição química. Elas incluem características como massa, volume, densidade e temperatura.

Por outro lado, as propriedades específicas são aquelas que dependem da natureza das substâncias e estão relacionadas às suas interações químicas. Essas propriedades podem ser subdivididas em físicas e químicas.

As propriedades físicas referem-se às características observáveis ​​de uma substância sem alterar sua composição química. Isso inclui coisas como ponto de fusão, ponto de ebulição, solubilidade em água e condutividade elétrica.

Já as propriedades químicas estão relacionadas à capacidade de uma substância reagir com outras substâncias para formar novos compostos. Alguns exemplos dessas propriedades são eletronegatividade (capacidade de atrair elétrons), raio atômico (tamanho do átomo) e afinidade eletrônica (energia liberada quando um átomo ganha um elétron).

É importante ressaltar que essas classificações não são rígidas ou exclusivas – algumas características podem se encaixar tanto nas categorias gerais quanto nas específicas da matéria. No entanto, essa divisão ajuda a compreender melhor as diferentes formas como a matéria pode se manifestar no mundo ao nosso redor.

Propriedades da água

A água possui diversas propriedades que a tornam única e essencial para a vida. Algumas dessas propriedades são:

1. Solvente universal: A água é capaz de dissolver uma grande variedade de substâncias, o que a torna um solvente eficiente.

2. Polaridade: A molécula de água é polar, ou seja, possui uma carga positiva em um extremo e uma carga negativa no outro. Essa característica permite que ela interaja com outras moléculas polares e iônicas.

3. Alta capacidade térmica: A água tem a capacidade de absorver e reter calor sem sofrer grandes alterações na temperatura, o que ajuda na regulação térmica dos organismos vivos.

4. Elevado ponto de fusão e ponto de ebulição: Comparada com outros líquidos similares, a água apresenta pontos de fusão (0°C) e ebulição (100°C) relativamente altos, permitindo sua existência nos três estados físicos na superfície da Terra.

5. Tensão superficial elevada: Devido às forças coesivas entre as moléculas de água, ela forma uma camada superficial resistente à ruptura quando submetida à tensão externa.

6. Capacidade hidratante: A capacidade da água em se ligar às moléculas através das ligações por pontes de hidrogênio permite sua atuação como agente hidratante em diversos processos biológicos.

8. Capacidade de dissociação iônica: A água pode se dissociar em íons hidrogênio (H+) e hidróxido (OH-), permitindo reações químicas importantes no meio aquoso.

9. Adesão e coesão: As moléculas de água têm a capacidade de aderir a outras substâncias, como as paredes celulares das plantas, facilitando processos como capilaridade e transporte de nutrientes.

10. Importância biológica: A água é essencial para todos os seres vivos, sendo um componente fundamental nas reações metabólicas, na regulação térmica dos organismos e no transporte de nutrientes e resíduos através do corpo.