propriedade

Relacione a Propriedade com a Palavra Correspondente

Associe A Propriedade Com A Palavra Correspondente

A matéria é definida como qualquer substância que ocupa espaço e tem massa. No entanto, cada tipo de matéria pode ter características únicas, conhecidas como propriedades da matéria. Essas propriedades podem variar entre diferentes tipos de matéria ou serem semelhantes em alguns casos.

Quando combinamos óleo e água, ambos em forma líquida, é evidente que eles não se misturam. Em vez disso, eles se separam no recipiente de maneira distinta.

Com essa combinação básica, podemos observar várias características da matéria, como a sua solubilidade (ao não se dissolverem) e a densidade (ao se posicionarem de maneira distinta).

Tópicos deste artigo

O mapa mental sobre matéria é dividido em três partes principais. A primeira seção aborda as propriedades gerais da matéria, enquanto a segunda seção explora as propriedades específicas da matéria. Essas duas seções fornecem uma visão geral abrangente das características e comportamentos básicos da matéria.

Associação entre Propriedade e Palavra Correspondente

De maneira geral, as características da matéria podem ser divididas em dois grupos: propriedades gerais e propriedades específicas. Essas propriedades serão exploradas a seguir.

Propriedades gerais da matéria: exemplos

As propriedades gerais são características que estão presentes em todos os materiais, não importando sua composição. Essas propriedades incluem massa, extensão, inércia, impenetrabilidade, divisibilidade, compressibilidade, elasticidade, indestrutibilidade e descontinuidade.

A massa é a quantidade de matéria presente em um objeto. É uma medida da quantidade de átomos ou moléculas que compõem o material. Por exemplo, um pedaço de ferro tem uma massa maior do que um pedaço equivalente de algodão.

A extensão se refere ao tamanho ou dimensões físicas do material. Pode ser medida em termos de comprimento, largura e altura. Por exemplo, uma folha de papel pode ter uma extensão maior do que outra folha com as mesmas características.

A inércia é a tendência dos objetos em permanecerem no estado atual de movimento ou repouso. Um objeto com alta inércia requer mais força para mudar seu estado inicial. Por exemplo, empurrar um carro parado exige mais esforço do que empurrar um carrinho leve.

Essas propriedades gerais são fundamentais para entendermos como os materiais se comportam e interagem entre si no mundo físico ao nosso redor.

Associação entre a propriedade e sua palavra correspondente

As características que todas as substâncias possuem, não importando seu estado físico (sólido, líquido ou gasoso), são conhecidas como propriedades gerais da matéria.

Um objeto tende a permanecer em repouso ou em movimento, a menos que uma força externa o influencie.

Do ponto de vista físico, a massa é uma medida da inércia ou resistência que um corpo possui para acelerar seu movimento. No entanto, de maneira geral, podemos relacionar a massa com a quantidade de partículas presentes em uma substância.

O volume é a medida do espaço ocupado por uma substância, independentemente de seu estado físico.

É impossível que duas substâncias ocupem o mesmo espaço simultaneamente. Isso pode ser exemplificado ao encher uma garrafa com água, pois é necessário que o ar seja expulso dela.

A compressibilidade é uma propriedade da matéria que permite que ela diminua de volume quando submetida a uma força externa. Um exemplo disso pode ser observado ao tamparmos a ponta de uma seringa e empurrarmos o gás em seu interior com o êmbolo.

A elasticidade é a propriedade de um material de retornar à sua forma original quando submetido a forças externas que o esticam ou comprimem.

You might be interested:  Os Incríveis Benefícios do Quiabo para a Saúde

A divisibilidade da matéria é a sua capacidade de ser subdividida várias vezes sem que haja alteração em sua composição química.

A definição de descontinuidade da matéria

A matéria é composta por átomos e moléculas que possuem espaços vazios entre si, o que chamamos de descontinuidade. Isso significa que não existe uma continuidade perfeita na estrutura da matéria, mas sim pequenos espaços vazios entre as partículas constituintes.

A compressibilidade é a capacidade da matéria de ter seu volume reduzido quando submetida a forças externas. Um exemplo prático disso é quando comprimimos um pedaço de borracha: ao aplicarmos pressão sobre ele, seu volume diminui consideravelmente.

Já a elasticidade refere-se à capacidade da matéria de retornar à sua forma original após ser deformada por uma força ou pressão externa. Por exemplo, se esticarmos uma mola e depois soltarmos, ela voltará à sua forma original porque possui essa propriedade elástica.

Essas características são importantes para entendermos o comportamento da matéria em diferentes situações. A descontinuidade nos mostra que mesmo objetos aparentemente sólidos possuem espaços vazios em sua composição. A compressibilidade permite-nos entender como os materiais podem ser compactados ou reduzidos em tamanho sob influência externa. Já a elasticidade nos ajuda a compreender como alguns materiais podem retornar à sua forma original após sofrerem deformações temporárias.

Associe as características às propriedades da matéria

Cada matéria possui características únicas, o que significa que uma característica presente em uma não necessariamente estará presente em outra.

A capacidade de estimular um ou mais dos cinco sentidos é uma característica presente na matéria. Existem diversos exemplos que ilustram essa propriedade.

Quando consumimos sal, percebemos o sabor salgado em nosso paladar. Ao fritar um bife na panela, podemos ouvir o som produzido. Quando passamos uma toalha no rosto e sentimos sua textura áspera, estamos utilizando nosso tato. A visão é ativada quando observamos a luz emitida pelos fogos de artifício durante uma explosão. Por fim, ao descascar uma mexerica, liberamos um aroma que estimula nosso olfato.

A capacidade de certas substâncias em desempenhar uma função ou causar uma sensação semelhante é conhecida como característica. Alguns exemplos disso são: [insira os exemplos aqui].

Todas as substâncias ácidas têm um sabor azedo quando são ingeridas e podem passar pelo processo de ionização, produzindo íons.

Qualquer substância considerada básica causa a sensação de adstringência e tem a capacidade de se dissociar em íons quando misturada com água.

As substâncias salinas têm um sabor salgado quando são ingeridas e podem se dissociar em íons quando colocadas em água.

A capacidade de uma substância se converter em outra através de um processo conhecido como fenômeno químico é chamada de reatividade. Em muitos casos, esse tipo de transformação só ocorre quando a matéria é exposta a condições específicas, como temperatura elevada, presença de catalisadores ou eletrólise.

A transformação de uma matéria em outra ocorre quando elas possuem características químicas semelhantes, como a presença de átomos dos mesmos elementos químicos. Por exemplo, para produzir iogurte é necessário utilizar leite e não suco de uva.

Um fenômeno químico bastante conhecido é a formação da água. Nesse processo, os gases oxigênio (O2) e hidrogênio (H2) são submetidos a altas pressões e temperaturas, resultando na produção de uma substância completamente nova: a água.

Quando combinamos os gases cloro (Cl 2 ) e hidrogênio (H 2 ), não é possível obter o mesmo resultado. Nessa situação, ocorre a formação de ácido clorídrico (HCl).

As propriedades da matéria são estabelecidas por meio de experimentos.

A capacidade de uma substância dissolver outra é conhecida como solubilidade. Um exemplo disso é a água, que pode dissolver o sal de cozinha, também chamado de cloreto de sódio. É importante destacar que a quantidade do soluto e solvente, assim como a temperatura, são fatores que afetam a solubilidade.

You might be interested:  A Propriedade Magnética Comum a Todos os Imãs

A tabela a seguir apresenta um exemplo da relação entre temperatura, quantidade de soluto e solvente.

A tabela abaixo apresenta os valores de solubilidade da sacarose em água.

Na tabela fornecida, é possível notar que ao dissolver 100 mL de água a uma temperatura de 10°C, conseguimos dissolver 190,5 g de sacarose. Por outro lado, se essa mesma quantidade de água estiver a uma temperatura de 50°C, será possível dissolver até 260,4 g de sacarose.

A densidade é a medida da quantidade de matéria em relação ao espaço ocupado. É obtida através do cálculo da massa dividida pelo volume.

A temperatura em que uma substância deixa de ser sólida e se torna completamente líquida é conhecida como ponto de fusão. Por exemplo, o ferro passa do estado sólido para o líquido a uma temperatura de 1535°C.

O ponto de ebulição (PE) é a temperatura na qual uma substância passa do estado líquido para o estado gasoso.

A transição de uma substância do estado líquido para o estado gasoso é determinada pela temperatura. Um exemplo disso é o metal mercúrio, que se transforma em gás quando atinge a temperatura de 356,9 °C.

A tenacidade é a habilidade de um material em resistir ao impacto quando entra em contato com outro. Por exemplo, quando uma pedra é lançada contra um vidro e o quebra, isso significa que a pedra possui maior tenacidade do que o vidro.

A dureza é a propriedade de um material que determina sua capacidade de arranhar outro. Por exemplo, quando uma pedra risca o vidro de uma janela, isso significa que a pedra é mais dura do que o vidro.

Propriedade que indica a ocupação de espaço pela matéria

1. Massa – Inércia

2. Volume – Espaço ocupado

3. Densidade – Relação entre massa e volume

4. Temperatura – Grau de calor ou frio

5. Condutividade térmica – Capacidade de conduzir calor

6. Elasticidade – Capacidade de retornar à forma original após deformação

7. Resistência elétrica – Oposição ao fluxo de corrente elétrica

8. Magnetismo – Atração ou repulsão entre objetos magnéticos

9. Solubilidade- Capacidade de se dissolver em um solvente

10.Viscosidade- Resistência ao escoamento

Essas são apenas algumas das muitas propriedades que podem ser associadas a diferentes palavras relacionadas às características dos materiais e substâncias.

O princípio da impenetrabilidade: o que ele afirma?

O princípio da impenetrabilidade da matéria afirma que dois corpos diferentes não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo. Isso significa que, se um objeto já está ocupando um determinado local, outro objeto não pode ocupá-lo simultaneamente. Esse princípio é uma das características fundamentais da matéria e está relacionado à sua propriedade de ocupar espaço.

Essa propriedade também explica por que objetos sólidos não podem atravessar uns aos outros. Se tentarmos empurrar nossa mão através de uma parede, ela encontrará resistência e não conseguirá penetrá-la. Isso ocorre porque a parede já ocupa aquele espaço e impede a passagem de qualquer outra coisa.

Palavras-chave: impenetrabilidade, matéria, corpo distintos

Propriedades específicas da matéria

Densidade: é a quantidade de massa contida em um determinado volume de uma substância. Quanto maior a densidade, mais pesada será a substância em relação ao seu volume.

Dureza: é a resistência que um material apresenta à deformação ou risco. Materiais duros são mais difíceis de serem arranhados ou danificados.

Ponto de fusão: é a temperatura na qual uma substância passa do estado sólido para o estado líquido. Cada substância possui um ponto de fusão específico.

Ponto de ebulição: é a temperatura na qual uma substância passa do estado líquido para o estado gasoso. Assim como o ponto de fusão, cada substância tem um ponto de ebulição característico.

You might be interested:  Certidão Negativa de Propriedade de Imóveis Gratuita: Solicite Agora!

Calor específico: é a quantidade de calor necessária para elevar em 1°C (ou 1K) a temperatura unitária (por exemplo, 1g ou 1kg) da substância. O calor específico varia entre as diferentes substâncias.

Permeabilidade: refere-se à capacidade que uma substância tem para permitir que outras sustâncias passem através dela. Substâncias permeáveis permitem essa passagem com facilidade, enquanto as impermeáveis não permitem ou dificultam esse processo.

Condutibilidade térmica: indica quão bem um material conduz o calor. Materiais com alta condutibilidade térmica transferem calor rapidamente, enquanto materiais com baixa condutividade térmica retêm melhor o calor.

Identificação de substâncias: quais propriedades utilizar?

Existem várias características que podemos observar na matéria para identificar diferentes substâncias. Entre essas características, três são muito importantes: densidade, ponto de fusão e ponto de ebulição.

A densidade é uma medida da quantidade de massa contida em um determinado volume. Cada substância possui uma densidade específica, o que significa que cada uma terá uma quantidade diferente de massa em um mesmo volume. Por exemplo, a água tem uma densidade maior do que o óleo, por isso ela afunda no óleo.

O ponto de fusão é a temperatura na qual uma substância passa do estado sólido para o líquido. Cada substância possui seu próprio ponto de fusão característico. Por exemplo, o gelo derrete a 0°C enquanto o chumbo derrete a 327°C.

Essas propriedades são muito úteis porque nos permitem identificar as substâncias com base em suas características físicas específicas. Ao analisarmos os valores da densidade, ponto de fusão e ponto de ebulição das amostras desconhecidas podemos comparar com dados já conhecidos sobre diferentes compostos químicos e assim descobrir sua composição ou até mesmo verificar se estão puras ou contaminadas.

Constituição da matéria

Toda a matéria é composta por átomos, que são as unidades básicas da matéria. Os átomos são formados por partículas fundamentais, como prótons, nêutrons e elétrons. Os prótons e os nêutrons estão localizados no núcleo atômico e são compostos por partículas ainda menores chamadas quarks.

Os elétrons orbitam ao redor do núcleo em camadas eletrônicas. Eles possuem carga negativa e desempenham um papel fundamental nas interações químicas entre os átomos. Já os prótons têm carga positiva e determinam o número atômico de um elemento, enquanto os nêutrons não possuem carga elétrica.

Além disso, existem diferentes tipos de quarks que se combinam para formar prótons e nêutrons. Esses quarks são considerados as partículas elementares da matéria porque não podem ser divididos em partes menores.

P.S.: É fascinante pensar na complexidade dos componentes mais básicos da matéria! A compreensão dessas partículas fundamentais nos ajuda a entender melhor o mundo ao nosso redor e avançar na ciência moderna.

Diferença entre matéria e energia

A energia é uma força que possui a capacidade de produzir ação e movimento. É um conceito fundamental na física, pois está presente em todas as formas de vida e fenômenos naturais. A energia pode se manifestar de diversas maneiras, como térmica, elétrica, cinética ou potencial.

Por outro lado, a matéria é tudo o que ocupa espaço e possui massa. Ela é composta por átomos e moléculas que se unem para formar diferentes substâncias. Uma curiosidade interessante sobre a matéria é que ela pode ser denominada de duas formas diferentes: corpo e objeto.

P.S.: É importante ressaltar que tanto a energia quanto a matéria são essenciais para entendermos o funcionamento do universo ao nosso redor. Enquanto a energia está relacionada à capacidade de realizar trabalho, transformando-se entre diferentes formas, a matéria constitui os elementos básicos da estrutura do mundo material. Ambas desempenham papéis fundamentais em diversos campos científicos e tecnológicos.